Inteligência Artificial: comitiva formada por MCTIC,Secitece e ITIC visita complexo da UFC

17 de julho de 2019 - 16:39 #

 
Atualmente, são mais de 200 estudantes e 30 professores envolvidos na área dentro da Universidade, com um trabalho já reconhecido dentro e fora do país

Uma comitiva formada por representantes da Secitece, do MCTIC e do ITIC conheceu os detalhes da grande estrutura voltada à Inteligência Artificial da Universidade Federal do Ceará (UFC), incluindo o LIA – Laboratório de Inteligência Artificial e o LSBD – Laboratório de Sistemas e Banco de Dados, localizados no Departamento de Computação. A visita aconteceu na manhã desta terça-feira (16/7), no Campus do Pici.

O secretário da Secitece, Inácio Arruda, participou da visita acompanhado do assessor do MCTIC, Aristides Pavani, e do presidente do ITIC, Carlos Artur, além de profissionais da própria secretaria. Eles foram recebidos pelos professores do Departamento de Computação Joaquim Bento Cavalcante Neto, João Paulo Pordeus, César Lincoln Mattos e Emanuel Bezerra Rodrigues, que apresentaram algumas pesquisas realizadas envolvendo Inteligência Artificial, como machine learn (aprendizagem de máquinas), reconhecimento de imagem, 5G, Internet das Coisas (IoT), segurança da informação, previsão de falhas, dentre outras.


Atualmente, são mais de 200 estudantes e 30 professores envolvidos na área, com um trabalho já reconhecido dentro e fora do Brasil. Além disso, o complexo da UFC voltado à Inteligência artificial tem contribuído para a formação em graduação, mestrado e doutorado, bem como na retenção de profissionais no Estado, criando oportunidades de trabalho para esse público, tão requisitado em outros estados e até países.

Muitos egressos da UFC são hoje pesquisadores de prestígio nacional e internacional, atuando em renomadas instituições como: University of Florida, University College London, New York University, UFPE, UFMG, Google, IBM, Bloomberg LP, dentre outras.


Para Inácio, a visita foi estratégica, pois a ideia é conhecer de perto o que já é feito no Ceará na área para poder fomentar a chegada de mais investimentos em Inteligência Artificial no Estado, estimulando a pesquisa em Inteligência Artificial, tida como essencial para o desenvolvimento.

De acordo com o assessor do MCTIC, Aristides Pavani, o governo federal pretende elaborar estratégias voltadas à evolução de pesquisas no setor, incluindo ações de formação e de fixação de recursos humanos. “A Inteligência Artificial é a tecnologia que pode mudar radicalmente a relação do homem com o seu meio. Queremos criar no país meios para conseguir estabilizar os pesquisadores no Brasil e quem sabe trazer também gente de fora”.
Participaram da visita, pela Secitece, a coordenadora de Desenvolvimento Institucional, Adeline Lobão; a coordenadora de Ciência e Tecnologia, Flaviana Pereira; a coordenadora de Inovação e Empreendedorismo, Gabriella Purcaru; o técnico da Coordenadoria de Modernização e Inclusão Digital, Márcio Rodrigues; o coordenador do CriarCE, Thiago Barros; e o assessor jurídico do Programa Corredores Digitais, Martonio Mendes.