Seminário reúne Sistema Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação

3 de abril de 2019 - 15:12 #


Promovido pela Secitece, evento discutiu o planejamento estratégico do Sistema para os próximos anos

A Secitece realizou nesta terça-feira, 2/4, o Seminário Sistema Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, com o objetivo de apresentar e discutir as ações que serão desenvolvidas para o avanço da Ciência e Tecnologia no Estado nos próximos anos.

Participaram do encontro, que aconteceu no auditório da Cegás, colaboradores da Secitece e de suas vinculadas Uece, Uva, Urca, Funcap, Nutec e Centec, além de representantes da UFC, Unilab, IFCE, INPE, Embrapa, Embrapii, Fiocruz, Sesa, Hemoce, Lacen, Etice, Secult, dentre outras.

Na abertura, o secretário Inácio Arruda apresentou o Plano Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Sustentável do Ceará, com metas de curto, médio e longo prazos e vinculado às premissas do Ceará do Conhecimento, parte integrante do plano estadual de governo.

“É fundamental visualizar o que o Ceará está pensando estrategicamente para daqui a 30 anos. Isso é uma expectativa ousada em termos de planejamento”, avalia o secretário ao afirmar que não há como ter desenvolvimento sem investimentos em Ciência e Tecnologia.

“O desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação precisa assumir um papel preeminente na nossa economia. Isso só será possível se conseguirmos estabelecer um diálogo permanente com o setor produtivo. Temos muita responsabilidade e também uma vantagem: poucos países do mundo possuem a infraestrutura tecnológica que o Ceará tem”, garante Inácio.

Plataforma 2050


A programação contou com apresentação do professor Antônio Miranda (UFC/Astef) sobre a Plataforma Ceará 2050. Na avaliação do professor, “se os países civilizados avançarem tanto e nós continuarmos nesse ritmo lento vamos ficar pra trás. Se não tivermos coragem de fazer a disrupção, de romper com o passado, corremos o risco de sermos conhecidos apenas como uma sociedade turística e exótica”.

A baixa inovação e empreendedorismo foi um dos achados do diagnóstico realizado pelo Ceará 2050. “Temos hoje mais infraestrutura do que somos capazes de aproveitar”, disse Miranda. “A desigualdade social e segurança são os principais entraves atuais. A pobreza extrema ainda está presente com muita força. Esses são os nossos grandes desafios”, aponta.

Tarcísio Pequeno, presidente da Funcap, apresentou dados sobre o desenvolvimento da pesquisa básica e aplicada no Estado. “Nosso número de doutores por 100 mil habitantes é cerca de 70. Nos países da OCDE essa proporção é 750. É outra ordem”, compara. Tarcísio defendeu a interiorização da inteligência, a integração da pesquisa acadêmica no setor produtivo e público e ressaltou o compromisso do governo estadual em destinar 2% de sua arrecadação para a ciência e tecnologia, uma conquista histórica.

A programação contou ainda com apresentações dos reitores das três universidades estaduais Jackson Sampaio (UECE); Patrício Melo (Urca) e Fabianno de Carvalho (UVA), além do reitor da Unilab, Alexandre Cunha. Eles destacaram os números, conquistas e os principais projetos a serem desenvolvidos.

Banco de Oportunidades

O presidente do Instituto Centec, Silas Alencar, reforçou as metas de ampliar a oferta de cursos técnicos e de criar um “Banco de Oportunidades” em formato virtual. O Centec é vinculado à Secitece, sendo um braço operacional muito importante por dar suporte a diversas iniciativas da secretaria, como a Universidade do Trabalho Digital (UTD) e o projeto Ciência Itinerante.

Já o presidente do Nutec, Francisco Magalhães, destacou os feitos da Fundação, que em 2018 completou 40 anos de existência. Magalhães enfatizou que só no último ano, foram mais de 37 mil serviços realizados para 1.002 clientes, divididos entre indústria, governo, pessoas físicas, etc. Entre a atuação do Nutec está a análise da qualidade da água fornecida pela Cagece à população, através de uma parceria com a Agência Reguladora do Ceará (Arce).

Embrapa e IFCE também se pronunciaram, seguido pelas apresentações sobre a Lei Estadual de Inovação, em processo de revisão, e dos editais a serem lançados pela Funcap.