Inácio Arruda reassume a Secitece

4 de janeiro de 2019 - 11:22 # # #

Nova gestão tem como principal desafio levar ciência e tecnologia para todos os cearenses

À frente da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior de janeiro de 2015 a abril de 2018, Inácio Arruda reassume como titular da Secitece na nova gestão do governador Camilo Santana.

A solenidade de nomeação dos novos secretários estaduais foi realizada na tarde desta terça-feira, 1 de janeiro, no Palácio da Abolição, logo após a posse do governador Camilo Santana e da vice-governadora, Izolda Cela, realizada no Plenário da Assembleia Legislativa do Ceará.

A luta pelo desenvolvimento da CT&I, decisivo para retomada do crescimento do País, seguirá norteando o trabalho da Secitece. Ciência para todos é a grande meta, através de projetos como o de popularização da ciência e do incentivo ao empreendedorismo digital dos jovens.

“Não existe progresso sem ciência”, garante Inácio Arruda. Por isso, um dos compromissos do novo secretário é continuar trabalhando para defendê-la e torná-la acessível aos cearenses. “Esse é o melhor caminho para o alcance do desenvolvimento inclusivo e socialmente responsável para todos”.

Posse do governador

Reeleito com 80% dos votos, o governador Camilo Santana disse iniciar uma nova missão com motivação redobrada. “Com mais vontade ainda de trabalhar para superar os desafios e lutar por um Ceará cada vez mais justo, fraterno e desenvolvido”, afirmou.

Izolda Cela agradeceu a confiança do povo cearense que apoiou e reconduziu a chapa de Camilo Santana para o novo mandato. “Quero destacar o nosso compromisso com o trabalho, e teremos ainda mais entusiasmo, responsabilidade, para atravessar mais quatro anos e fazer com que o Ceará se desenvolva mais, melhorando mais ainda os indicadores sociais. Melhorar a vida das pessoas, é disso que nós precisamos”, disse a vice-governadora.

Além de Inácio Arruda, a equipe de secretários será composta por: Élcio Batista (Casa Civil), Fernanda Pacobahyba (Fazenda), Mauro Benevides Filho (Planejamento e Gestão), Socorro França (Proteção Social, Justiça, Mulheres e Direitos Humanos), André Costa (Segurança Pública e Defesa Social), Luís Mauro Albuquerque (Administração Penitenciária), Francisco de Queiroz Maia Júnior (Desenvolvimento Econômico e Trabalho), Lucio Ferreira Gomes (Infraestrutura), Arialdo Pinho (Turismo), Francisco de Assis Diniz (Desenvolvimento Agrário), Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho (Saúde), Fabiano Piúba (Cultura), Zezinho Albuquerque (Cidades), Juvêncio Vasconcelos Viana (Procuradoria Geral do Estado), Eliana Nunes Estrela (Educação), Francisco Teixeira (Recursos Hídricos), Artur Bruno (Meio Ambiente), Rogério Pinheiro (Esporte e Juventude), Aloísio Carvalho (Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado) e Cândida Maria Torres de Melo Bezerra (Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário).

Quem é Inácio Arruda

Inácio Arruda iniciou sua vida pública nos anos 80, como presidente da Associação dos Moradores do Bairro Dias Macedo e logo em seguida, presidente da Federação de Bairros e Favelas de Fortaleza. Foi eleito vereador na capital cearense em 1988, apresentando o maior número de emendas à Lei Orgânica, entre elas a que garante a meia passagem dos estudantes nos transportes públicos.

Eleito em 1990 para a Assembleia Legislativa do Ceará, teve seu mandato marcado pela presença assídua e destacada nas mobilizações populares e por uma intensa e criativa atuação em plenário.

Em 1994, elegeu-se deputado federal, sendo reeleito em 1998 e 2002. Nesse período, presidiu a CDUI – Comissão de Desenvolvimento Urbano e Interior, promovendo a Conferência das Cidades e a Conferência Nacional de Saneamento. É autor do substitutivo que originou a Lei que regula o capitulo da política Urbana da Constituição Federal (artigos 182 e 183), denominado “Estatuto da Cidade”.

Em 2006, foi eleito Senador da República. Inácio Arruda defendeu maiores investimentos para o desenvolvimento de tecnologias e implantação de polos de energias renováveis no País, valorizando o potencial brasileiro e cearense para a geração de energia eólica e solar. Foi o coordenador do grupo de trabalho da Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado, que elaborou o projeto de lei do marco regulatório para os biocombustíveis.

Durante todos os anos em que atuou no Congresso Nacional, Inácio destinou recursos de emendas parlamentares para fortalecer entidades como o Instituto Federal do Ceará (IFCE), Universidade Regional do Cariri (Urca), Universidade Estadual do Ceará (Uece), Universidade Federal do Ceará (UFC), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Instituto de Ciências do Mar – Labomar/UFC, dentre outras ligadas à pesquisa científica, avanços tecnológicos e ensino superior. Relatou o projeto que garantiu a criação da Unilab e a Universidade Federal do Cariri.

Inácio apresentou o Projeto de Lei 48/2014, que garante incentivos à autoprodução de energia elétrica a partir da microgeração e minigeração distribuída, que utilizem fontes com base em energia hidráulica, solar, eólica, biomassa e cogeração qualificada. Defendeu maiores investimentos na química verde, que tem preocupação com o desenvolvimento científico de forma sustentável.

O Plano Nacional de Educação (PNE), aprovado em 2014, incluiu emenda de Inácio estimulando a expansão e reestruturação das instituições de educação superior estaduais e municipais, cujo ensino seja gratuito, por meio de apoio técnico e financeiro do Governo Federal. O número de universidades estaduais e municipais elegíveis para o recebimento de apoio técnico e financeiro da União foi ampliado.

Participou da administração do Governo do Estado do Ceará, na primeira gestão do governador Camilo Santana, como Secretário da Ciência, Tecnologia e Educação Superior de 2015 a 2018.